Amor é transporte

Sai de dentro da minha loucura uma partida feita do amor
onde a única matéria é fabricar uma carne extasiada
um sentimento que faça sorrir, esquecer, que lembre o sabor da amora
que faça as varandas estarem entre-abertas,
que faça tudo passar de boca em boca
onde pessoas podem virar campos de rosas.
Porque as vezes consigo ver que tudo se ilumina
Consigo ver as coisas absolutas
como a fruta que comes com chantily.
Como o escuro que me faz intimo da fronteira

magnólia, gato na janela,
sorriso de mães, relva não cortada
sentimento de gratidão

Prefiro ser aquele que nunca escolheu
Prefiro ser aquele que bebeu a água
Prefiro ser a caneta do poema
ou o poema que subiu a caneta
prefiro não me conter e pensar com delicadeza
porque sou uma devastação inteligente
que toca o trompete num movimento estrutural

Porque necessito que leia esta partida de dentro
porque o amor o chantily não se aborrecem
porque tudo pode ser a mesma viagem no presente

Advertisements

Sobre Gustavo Santiago Guimaraes

Gustavo Santiago Guimarães é poeta. Autor de Sol-te no caminho.
Esta entrada foi publicada em Poesias. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s