A naturalização do absurdo

Essa coisa de ser “otimista” para encarar a vida humana é coisa de gente trouxa para negar o absurdo ao redor. O lobo tem seu ofício e toda ovelha necessita de se agrupar num rebanho. Somos uma espécie que não merecemos a vida, fato. Só quando estiver bem intrínseco no consciente coletivo de que não somos dignos, que somos um vírus inconsequente, aí então poderemos procurar outro caminho a esse deus dará.

Advertisements

Sobre Gustavo Santiago Guimaraes

Gustavo Santiago Guimarães é poeta. Autor de Sol-te no caminho.
Esta entrada foi publicada em Prosas. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s